Home » Krav Maga » Civil

Civil

CURSO INSTRUTORES CIVIL

A formação de instrutores de Krav Maga requer extrema cautela e responsabilidade, por se tratar de uma actuação profissional que envolve riscos de grandes proporções, desde aqueles relacionados com exercício corporal, incluindo a formação de caráter e todos os riscos de vida inerentes ao ensino de uma arte de defesa pessoal.

O profissional mal preparado representa um perigo para seus alunos e para sociedade. A função do instrutor é ensinar técnicas de defesa pessoal, ensinando quando e como aplica-las, desenvolvendo a auto-confiança e auto-controle. Ao trabalhar o corpo como instrumento de ataque e defesa, libera-se a agressividade, direccionando essa energia esse potencial de forma sadia e construtiva.

O processo de formação de instrutores adotado pela IKMF foi criado pelo criador da modalidade, Imi Lichtenfeld e ainda hoje é o método utilizado em Israel. Este processo de formação é rigoroso e garante a qualidade e alto nível de ensino e difusão do Krav Maga no Mundo, atento às expectativas e riscos já expostos.

Implantado pelo Mestre Avi Moyal, o sistema de formação de instrutores prepara os profissionais a ensinar e orientar os alunos, somando ao instrutor a função de educador

  o candidato deverá aprender matérias complementares como anatomia, fisiologia, nutrição, primeiros socorros, filosofia das artes marciais e marketing, com carga horária mínima em cada matéria.

  essa fase inclui toda a teoria, filosofia e prática do Krav Magá, onde o candidato aprende passo a passo a ensinar corretamente, através da didática própria do Krav Maga. Aprende como se comportar em sala de aula e as regras e normas de conduta da IKMF.

Este processo é rigoroso e exige muito dos seus candidatos, mas os resultados garantem a formação de instrutores altamente qualificados, que contribuem para a formação de uma sociedade melhor.

. Para informações adicionais sobre o curso de instrutor de civis ( CIC) e como avançar ainda mais na família IKMF e desenvolver uma carreira na krav maga por favor contacte-nos

BASTÃO COMO INSTRUMENTO DE DEFESA


A utilização do bastão no Krav Maga começou já no início da década de 40, pelos grupos de defesa que lutavam pela independência do estado de Israel. O uso de armas de fogo era proibido pelo mandato britânico que dominava a região nesta época, o que transformou o bastão em instrumento de defesa.

Diante deste quadro, foi criado no Krav Maga uma ramificação específica para o uso de bastão; técnicas de ataque e defesa para todas as circunstâncias; ataque desarmado contra bastão; bastão contra bastão; bastão contra armas longas e outros.

Na época, este conjunto específico de técnicas dos segredos do bastão dentro do Krav Maga foi chamado popularmente de "Kapap" . Os anos passaram e com a independência do estado de Israel, os bastões foram trocados por metralhadoras e os mesmos exercícios de bastão foram adaptados para o uso de espingardas. Em meados da década de 70, até o final da década de 80, o bastão reapareceria, desta vez nas mãos de cidadãos civis israelita que precisavam se defender de terroristas armados com facas e armas de fogo pelas ruas que costumavam parar os carros nas estradas e matar os motoristas e todos os passageiros. Os cidadãos passaram a andar com cassetetes, bastões e até mesmo tacos de basebol dentro dos carros.

Era a volta da época do "Kapap". Por mais estranho que isso possa parecer, dada a sofisticação das armas de fogo actuais, o bastão ainda é eficiente em várias situações do nosso dia-a-dia. Sua figura ainda intimida agressores, pois ainda apresenta a imagem de força e poder nas mãos do usuário.

FACA EM COMBATE

  As técnicas de combate com faca foram elaboradas por Imi seguindo as mesmas bases de toda a filosofia do Krav Maga; visando a mesma objectividade, garantindo a segurança do combatente e possibilitando o confronto eficaz contra vários adversários ao mesmo tempo.

 O "combate de faca contra faca" foi uma constante nas duas Grandes Guerras Mundiais.

 A técnica foi criada por Imi exclusiva e especificamente para as situações militares e sua eficiência foi comprovada no final da 2ª Guerra Mundial, na Guerra de Independência do Estado de Israel em 1948, e em todas as guerras e operações especiais realizadas pelos grupos de elite das forças armadas israelita. Esta técnica é restrita aos grupos especiais da elite militar israelita e pouquíssimas pessoas, mesmo em Israel, tiveram a honra de conhecê-la, condição absoluta e irredutível até os dias de hoje. O soldado que aprende esta técnica estuda profundamente a anatomia humana e aprende, portanto, onde deve ou não atingir o corpo do adversário e qual a maneira mais eficaz para isto.

 O combatente ganha "intimidade" com a faca, sentindo-se o mais confortável possível, até o ponto em que a faca se transforme numa extensão de seu próprio braço. A pegada da faca se diferencia um pouco para cada técnica de ataque ou defesa, onde o objectivo é eliminar o adversário, no ataque frontal ou atacando um sentinela ou mesmo um grupo inteiro.

 As técnicas são específicas para cada situação, permitindo ao soldado escolher a maneira mais rápida e objectiva para qualquer "problema" a ser solucionado. Cabe repetir que, as técnicas de combate com faca, são absolutamente exclusivas de poucos grupos da elite militar de Israel.

 

 

 

AMEAÇA COM ARMA DE FOGO

A ameaça com arma de fogo, seja pistola, revólver ou mesmo espingarda, desde os anos 70 é uma situação comum.

O principal dado nesta situação é o fato, que no momento inicial da agressão, o agressor não tem a intenção de atirar, de apertar o gatilho, mas sim intimidar, assustar e criar pânico; é uma "AMEAÇA", pois se a intenção fosse atirar, o agressor já o teria feito no primeiro momento.

A ameaça real não está no agressor ou na arma, e sim no gatilho, que apenas com um curto movimento poderá liberar o primeiro tiro; portanto, a reacção contra a arma de fogo deverá ser bem calculada. Ao chegar à conclusão que a única opção é reagir, deve-se aguardar o momento mais adequado, que será quando o agressor desviar sua atenção, o que poderá acontecer no momento em que ele começar a falar, ou prestar atenção no objecto que vai assaltar ou qualquer outro motivo de dispersão; o que importa no momento da reacção é reagir rápido e objectivamente, sem permitir que o agressor consiga esboçar uma segunda agressão.

TÉCNICAS DE RESGATE - INTEGRIDADE E VIDA DOS REFÉNS

Ataques de terroristas sempre chocaram o mundo. Terroristas são, na maioria das vezes, fanáticos com o objectivo único de destruição, medo e morte. Muitas vezes, o ataque terrorista, além de colocar bombas matando dezenas ou até centenas de pessoas inocentes e indefesas que tiveram a infelicidade de estarem no lugar e hora "errada", se estende para captura de reféns que são humilhados, amedrontados e ameaçados com metralhadoras, granadas e outros explosivos com grande poder de destruição. Nestas situações delicadas e de alta meticulosidade a libertação dos reféns envolve uma operação de resgate. O Krav Maga desenvolveu técnicas rápidas, silenciosas e inesperadas, devendo acontecer de "surpresa".

O importante no resgate é a integridade e vida dos reféns, portanto cada operação deverá se adequar, considerando todas as possibilidades, utilizando a técnica correta.